invenções

Algumas vezes quando estou envolvida com a ação de trabalhar com as argilas, misturar os diversos tipos, experimentar e verificar o que acontece, tenho uma sensação extremamente forte de criação. Acredito que são momentos de grande prazer criativo, acontece que muitas vezes, ao observar com um novo olhar, ou um pequeno distanciamento, percebo que acabei de inventar a cerâmica Marajoara! Conversando sobre isso com a Sheila em seu atelier de cerâmica, ela contou que costuma “inventar” vários pontos quando faz trico, e também fica extremamente feliz com sua capacidade criativa.

Atualmente estou super envolvida com a minha mais recente invenção. A técnica que inventei, torna a argila diferente, usualmente trabalho com argila branca(a Shiro) e acrescento o que denomino de farofa, pequenos pedaços de outras argilas que guardo separadas. Este é o resultado de alguns trabalhos:

Talvez futuramente eu descubra que minha mais recente invenção, tenha mais de 100 anos, por enquanto, aproveito a sensação deliciosa.

argilas

argilas

Que bacana! Essas são as argilas que a Renatinha trouxe do Amazonas. Elas estavam bastante molhadas, mas é claro que mesmo assim eu precisava experimentar.

Para conseguir trabalhar com a argila super molhada resolvi acrescentar uma boa quantidade de chamote, quer dizer, na verdade, uma enorme quantidade de chamote. Ficou um pouco complicado, pois ao contrário do esperado secou demais. Em outra parte da argila eu acrescentei terracota(essa do Paschoal mesmo). Deixei “descansar” e respirar o ar da mata atlântica mais um pouco:

No outro dia estavam mais simples de trabalhar, raspei a estou esperando secar para observar melhor o efeito.

 

Alguns foram embora e muitos outros produzidos

Nossa, acabei de criar um destino para os potes produzidos no meu projeto e já tenho vários outros:

 

UMa forma de flor, um deles de porcelana que foi copiado e outro de terracota com chamote.