decisões insensatas

eu sei, eu sei…não é correto abandonar aquele velho companheiro, ao seu lado durante quase um ano, no entanto, acabo que encontrar uma nova paixão:

batik

 

Na verdade, não é exatamente uma nova paixão, descobri o batik através do Celso Lima, meu professor durante aulas em 2010. Retomei somente agora, ( já um tanto esquecida de alguns conceitos) e estou experimentando e errando muito!

É claro que não abandonei o projeto dos potinhos, afinal tenho que terminá-lo, e gosto muito da ação e do desafio de copiar e inventar.

 

tingindo

 

A primeira etapa, quando tudo parece dar certo, apenas uma aplicação de cera e a primeira cor escolhida.

 

Tudo lindo e perfeito

A paisagem é exatamente a mesma – o local escolhido para fotografar os meus potinhos, o muro de pedra fica na porta do atelier. Agora espero a tinta secar, o que nem sempre é rápido, para prosseguir para uma nova etapa na mesma tarde.

 

As tintas já preparadas, sem grandes surpresas, ao contrário dos esmaltes para cerâmica – você deve acreditar quando seu professor afirma com total convicção,  que aquilo que enxergamos cor de rosa é azul! A Sheila costuma ter razão, rosa é azul, o branco é transparente e o branco pode ser branco mesmo.

 

     A nova paixão estimulou novas pesquisas, então comecei a tingir argila(na verdade usando corantes e pó de argila shiro e marfim), logo irei promover um encontro.

 

As decisões em um primeiro momento, até parecem insensatas, mas acredito que não é bem assim.